COMPRE AGORA COM 20% DE DESCONTO,

POSTAGEM A PARTIR DE 28/12/2020.

Link: http://www.consequenciaeditora.net.br/p-11225420-*A-FORMACAO-ESPACIAL-BRASILEIRA-Contribuicao-Critica-aos-Fundamentos-Espaciais-da-Geografia-do-Brasil.-3%C2%AA-Edicao—Ampliada–Ruy-Moreira-(Autor)

“A Formação Espacial Brasileira: Contribuição crítica aos fundamentos da geografia do Brasil” (Terceira edição ampliada e revisada) – Ruy Moreira

Sobre o livro:… Esta é a 3ª edição deste livro. Publicado pela primeira vez em 2012 e com 2ª edição revista e ampliada em 2014, sai agora enriquecido de cinco novos textos. São textos que ampliam e dilatam a visão de Brasil das edições anteriores, então ancoradas num olhar essencialmente binário e clássico da sociedade brasileira. Com a inclusão desses textos, amplia-se o espectro do olhar dos sujeitos. No campo, a visão de latifundiários e camponeses se abre com a incorporação das comunidades. Na cidade, a visão de burgueses e operários urbanos e fabris se abre com a inclusão da classe média. A visão binária dos textos da 2ª edição ganha assim uma compreensão social e política mais lata e diversa, seja das relações estruturais e seja da complexidade dos conflitos de classes no país. E lança um foco mais aguçado do conhecimento da realidade, da tarefa da explicitação teórica e das necessidades das formulações políticas. É uma visão que pediu também a inclusão de conceitos e categorias até então pouco ventilados e a explicitação mais clara e substantiva dos conceitos e categorias até então empregados, enriquecendo o livro igualmente no plano das considerações teóricas. A escala de análise das sobredeterminações do espaço torna-se com isso mais profunda e de abrangência mais ampla, exigindo um nível de exercício de método progressivo-regressivo que até então ficara próximo ao rés dos dados empíricos e da descrição do mecanismo mais básico dos arranjos, também aqui trazendo nova contribuição.

Sobre o Autor: Ruy Moreira é professor do quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP-UERJ). É graduado e mestre em geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), doutor em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP) e doutor honoris causa pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). E autor de artigos e livros voltados para a pesquisa teórica e seu cruzamento com a forma concreta de organização geográfica da sociedade brasileira, centrando a investigação teórico-empírica nas suas estruturas espaciais, estruturas às quais analistas e intérpretes do Brasil pouco ou nada têm dado atenção, de que fazem parte O movimento operário e a questão cidade-campo no Brasil – classes urbanas e rurais na formação da geografia operária brasileira, livro publicado pela Editora Vozes em 1985 e reeditado com revisão pela Editora Consequência em 2013, Formação do espaço agrário brasileiro, publicado em 1990 pela Editora Brasiliense, Sociedade e espaço geográfico no Brasil, publicado pela Editora Contexto em 2011, este A formação espacial brasileira – contribuição à crítica dos fundamentos espaciais da geografia do Brasil, publicado pela Editora Consequência em 1ª edição em 2012 e ora em 3ª.edição revista e acrescida de novos textos em 2020, e Mudar para manter exatamente igual – os ciclos espaciais de acumulação, o espaço total e formação do espaço agrário, igualmente pela Consequência em 2018.

SUMÁRIO

Prefácio à 3ª edição……………………………………………………………………………………7

Introdução…………………………………………………………………………………………………9

CAPÍTULO 1. O protoespaço brasileiro………………………………………………………..13

CAPÍTULO 2. As fases e vetores da formação espacial brasileira:

hegemonias e conflitos………………………………………………………………………………..31

CAPÍTULO 3. Setor agrícola e acumulação urbano-industrial no Brasil……….51

CAPÍTULO 4. Espaço agrário e classes sociais

rurais na sociedade brasileira………………………………………………………………………67

CAPÍTULO 5. Plantation e formação espacial: as raízes

do Estado- nação no Brasil……………………………………………………………………………87

CAPÍTULO 6. A marcha do capitalismo e a essência

econômica da questão agrária no Brasil…………………………………………………… 129

CAPÍTULO 7. Federação e federalismo: estrutura e significado no Brasil……169

CAPÍTULO 8. A relação cidade-campo e os eixos nada ocultos

da produção e organização do espaço brasileiro………………………………………..177

CAPÍTULO 9. Do espaço da mais valia absoluta ao espaço da mais

valia relativa: os ordenamentos da geografia operária no Brasil…………………191

CAPÍTULO 10. O plano nacional da reforma agrária em questão…………………211

CAPÍTULO 11. Ascensão e crise de um paradigma disciplinar: o espaço

do complexo CSN-Volta Redonda e a sociedade do trabalho no Brasil…….. 257

CAPÍTULO 12. A nova divisão territorial do trabalho e as tendências de configuração

do espaço brasileiro……………………………………………………………………. 293

CAPÍTULO 13. Modelo industrial e meio ambiente no espaço brasileiro……. 327

CAPÍTULO 14. O espaço-total brasileiro…………………………………………………… 343

CAPÍTULO 15. A cidade e o urbano no Brasil……………………………………………..351

CAPÍTULO 16. Classe média e mudança no Brasil………………………………………361

CAPÍTULO 17. Os quatro modelos de espaço-tempo e

a reestruturação espacial brasileira……………………………………………………………373

CAPÍTULO 18. A sociedade brasileira e suas

etapas espaciais de formação……………………………………………………………………. 399

CAPÍTULO 19. O biopoder, a grande indústria e o rentismo.

Ou quando o problema é a teoria………………………………………………………………415

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s